Dicas do que fazer no primeiro dia de aula

 

 

 

Sabemos que a academia nos forma, porém a profissionalização mesmo só adquirimos com a prática, quem nunca se perguntou. “o que farei com os alunos no primeiro dia de aula?”
É um questionamento comum e quem entra na profissão de professor vai acabar passando por isso.
Reuni então algumas dicas para o primeiro dia de aula. Essas dicas servem bastante para o ensino fundamental, principalmente primeiro ano mas dá pra ser adaptada também para o ensino infantil.

 

 

Acolhimento dos alunos

Considerando as especificidades dos alunos do primeiro ano e as necessidades de aprendizagens, neste documento há algumas sugestões de atividades para os primeiros dias de aula. Cabe lembrar que muitas dessas atividades devem ser desenvolvidas diariamente no decorrer do ano letivo.

No momento em que as crianças chegarem, deverão ser recebidas por todos os professores do 1º ano. O importante é que haja uma interação entre os professores e os pais desses alunos, portanto, a escola deve estar toda preparada para recebê-los.

Os pais ou responsáveis devem ser orientados a acompanhar os filhos até a entrada da sala de aula, onde o professor irá recebê-los. Em seguida, os pais devem ser encaminhados ao pátio da escola, para que, junto com os gestores, participem de uma apresentação da proposta de ensino, da rotina dos primeiros dias, do respeito às especificidades da faixa etária, do que as crianças irão aprender durante o ano (expectativas de aprendizagem), de como os pais podem ajudar nas tarefas dos filhos, bem como o desenvolvimento das atividades no decorrer do ano letivo.

Em sala de aula o professor organizará a turma para uma roda de conversa.

Roda de Conversa

Essa atividade permite aos alunos participarem de momentos de intercâmbio, ocasião em que ouvem os colegas, formulam perguntas e emitem opiniões sobre o tema discutido. Em situações como esta, em que as crianças são convidadas a relatar suas vivências, suas opiniões acerca de determinado tema ou assunto, suas impressões etc., elas são inseridas na linguagem oral, partilhando coletivamente os seus significados e apropriando-se dos significados do outro. Por meio da linguagem e da interação, as crianças podem ter acesso a outras realidades. Cabe ao professor estimular seus alunos a esse intercâmbio, considerando que a “conversa” deva ser vista como um conteúdo a ser trabalhado em sala.

Na roda de conversa, o professor, em primeiro lugar, deve contextualizar o motivo da atividade, visto que este seja o primeiro contato que ocorrerá na condição de alunos e professor. Cabe ao professor apresentar-se, pois isso servirá de modelo para que as crianças, posteriormente, sejam convidadas a falar de suas vidas como, por exemplo: Quem é? O que gosta de fazer quando não está na escola? Frequentou a pré-escola? Quais são os pratos ou comidas preferidas? De que brincadeiras gostam? Estas e outras perguntas afins podem fazer parte desta roda de conversa.

Turismo pela escola

É uma atividade que tem por finalidade apresentar os vários ambientes da escola, favorecendo o conhecimento de todos os espaços, sua utilização, bem como a apresentação dos funcionários e suas respectivas funções. Esse é um ótimo momento para integrar os alunos que estão frequentando pela primeira vez a escola.

O importante, nesta atividade, é que o professor explore os espaços que os alunos começarão a frequentar. Entretanto alguns desses espaços devem ser sondados mais atentamente, como, por exemplo, o espaço de leitura da escola, que precisa ser apresentado como um local nobre que os alunos poderão utilizar sempre que necessitarem. Além disso, é importante reiterar que algumas aulas poderão ser ministradas nesse espaço.

 

A avaliação diagnóstica inicial constitui-se em instrumento imprescindível ao planejamento pedagógico, pois oferece condições para que os docentes conheçam o perfil de seus alunos e reflitam sobre seus saberes e não saberes, direcionando seu trabalho em sala de aula. Contudo, para que esta avaliação cumpra seus objetivos, é fundamental que seja realizada de forma criteriosa. Assim, no início do ano letivo, os diferentes atores envolvidos no processo de ensino e de aprendizagem, professores coordenadores das Unidades Escolares e professores, precisam incluir nos espaços de formação e de trocas de experiências, que são momentos significativos de discussão sobre como avaliar a aquisição do sistema de escrita e a competência leitora e escritora de seus alunos, bem como os conhecimentos matemáticos.

Nessa perspectiva, deve-se fazer uma avaliação diagnóstica dos alunos no que concerne à aquisição do sistema de escrita e da produção textual, pois convém que o educador examine o que os alunos já sabem, registrando suas observações, para poder planejar as primeiras intervenções.

Brincadeiras

As situações de brincadeira favorecem a interação, o movimento e autonomia entre as crianças. Quando participam de brincadeiras as crianças externam seus sentimentos e aprendem a se conhecer, em especial, quando interagem com os adultos e demais crianças. O contato com as regras da brincadeira permite que as crianças se apropriem de atitudes próprias do convívio coletivo.

 

Leitura e Escrita no Primeiro Ano

 

A alfabetização deixou de ser encarada como um momento estanque e passou a ser entendida como um processo, no qual o primeiro ano desempenha papel fundamental na aquisição da escrita e prática de leitura em atividades permanentes.

Nomes Próprios

Desde o primeiro dia, o professor pode explorar atividades de leitura e escrita dos nomes próprios, tendo como referência o nome das crianças. O importante é que os alunos tenham contato com a lista de nomes dos colegas da turma. Ela precisa ser preparada com antecedência pelo professor e afixada na parede da sala, acessível a todos.

 

A lista deve ser apresentada em ordem alfabética, em letra de forma maiúscula, pois este tipo de letra é a mais indicada para os alunos em processo de aquisição do sistema de escrita. Sua organização em ordem alfabética coloca muitas questões no momento em que os alunos são convidados a participar de leitura da lista, favorecendo um conflito cognitivo; principalmente, com nomes que começam com a mesma letra, pois terão de “afinar” suas estratégias de leitura como, por exemplo, comparar e analisar a última letra ou outras letras que diferenciem um nome de outro.

 

 

 

 

 

Fonte: Ensinar-Aprender

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s